Pesquisar este blog

Follow by Email

DIREITOS AUTORAIS

Licença Creative Commons
POESIAS BY ADÉLIA CARVALHO DOS REIS de ADÉLIA CARVALHO DOS REIS é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-SemDerivados 3.0 Brasil.
Baseado no trabalho em poesiasbyadeliacdosreis.blogspot.com.br.
Perssões além do escopo dessa licença podem estar disponível em http://poesiasbyadeliacdosreis.blogspot.com.br/.

Total de visualizações de página

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

CADA ATITUDE SUA REFLETE NO UNIVERSO

Cada atitude sua reflete no universo...
Cada frase sua, cada pensamento seu ressoam no espaço.
Quando você faz o bem, está beneficiando toda a humanidade,
inclusive você, que faz parte dela.
O importante é estarmos abertos e sintonizados com a possibilidade de crescer.
Num mundo em constante evolução, ficar parado significa retroceder.
Renovar é dizer adeus ao velho e dar boas vindas ao novo.
Renovar é saber que temos o poder de mudar...
Então que seja por melhor...



sexta-feira, 10 de agosto de 2012

TRÂNSITO DE VÊNUS

Lua que desponta exuberante por trás das montanhas
Como amostra da natureza, todos podem ver:
Vislumbres fugazes originados de tanta beleza.
Sigo estrada acima com meus olhos o solo a varrer.

Confesso minha natureza selvagem em rastros ao anoitecer.
Viro a página da história com força vital para aspirar,
O vento que sopra em sinfonia sobre o meu viver,
Limpando eu por dentro como bálsamo para aflorar.

Portas valiosas se abrem na noite enluarada
E posso fitar o mundo com milhares de olhos,
Cantar minha carne de volta aos antepassados,
Ser estrela guia, ascender e apagar o desejo em realizar.

Sob o céu de Vênus, cintila o manto que me agasalha.
Danço como Salamandras avivando o fogo da transmutação
Alimento minha alma faminta e encosto-me ao Rosto de Deus.
Em êxtase pelo presente, descrevo a poesia que se faz canção.



domingo, 5 de agosto de 2012

ETERNA SAUDADE


Meus pensamentos retornam a ti
tento fugir das sentinelas
reviro do avesso em segredos e sombras 
noite chega e aconchega
não mente e nem engana.

Busco seu rosto sorvendo calada.
Montanhas desbravam novos caminhos
no sobe e desce dos momentos
o tudo oculto nas moradas
o nada em sonhos revelados.

Chega de mansinho, escondendo sua face
como estrelas atrás das nuvens
como chuvas em dias sem sol
Vejo-te, mas não te toco
Sinto-te, mas não me toca.
ETERNA SAUDADE!!!
Adélia Carvalho dos Reis


ENTARDECER QUE SE FAZ CANÇÃO


Restam-me mudas palavras em notas sem dó
Que ressoam ao som de sua canção.
Falar e escancarar;
Que a boca beije em silêncio.
Abrir aos anseios;
Que a pele sinta sua mão.
Liberar os desejos
Esquecidos pelo mundo,
Esquecidos de mim.
Banhar sob a chuva que cai
Entrelaçar no aconchego do teu colo.
Deslizar em gotas de sedução,
Ser pele, ser forte
Ser Deusa, ser Mulher.
Esperei por ti em mim,
Esperei amar enfim.
Livre das janelas onde me prendo
Ouço gemidos de aventuras
Roubo olhares,
Devoro sua carne em mim,
Devoro o prazer sem fim.
Não vejo mais o espaço... Ultrapasso.
Limites se fundem em vôos de gaivotas,
Pairo em suas asas e no vaivém do ser e do não ser
Agasalho você que chega,
Permito o que você deseja.
Embriago-me estonteante pelas esquinas
Onde fugi sem mim,
Onde esqueci de mim.
Adélia Carvalho dos Reis
02 de março de 2012 





DEUSA SERENA


A existência do ser comparada ao centro universal me leva a transcender.
Adentrar em seus mistérios é como deslizar pelas nuvens em noites de luar.
Escalar clareiras além das montanhas pelo fio prateado a me transportar.
Elevar nas ondas vibratórias e dissolver em acordes nos invólucros da dualidade.
Invadir triunfante o espaço celestial, em liberdade pelos matizes a voar.
Saborear e saciar o amor que se multiplica na infinita dimensão.
Imensurável a perfeição, inevitável o tempo para a edificação;
Incomparável o tudo inserido no nada, inexplicável o amor guardado no coração.
E no ponto central deste círculo vivenciar o apogeu.
Ser sombra ser luz, fazer e desfazer
A unicidade entre a lua e o prazer.
Seguir na direção almejada, apagar e ascender
O brilhantismo entre a lua e eu.
Adélia Carvalho dos Reis
Lua cheia de agosto – 02/08/2012A